Utilização da Internet

A Internet é hoje um meio onde a realidade virtual se assemelha, cada vez mais, ao mundo real. Ou seja, praticamente tudo o que de bom e de mau que acontece no mundo real também pode acontecer no mundo virtual.

Assim, na Internet é possível efectuar um sem-número de actividades, das quais se destacam: comunicar por correio electrónico, mensagens instantâneas e vídeo-conferência; efectuar transacções financeiras; comprar e pagar bens ou serviços; pesquisar e aceder a informação online; e armazenar e publicar informação pessoal e institucional, em blogues, sites de empresas e redes sociais.

Mas, à semelhança do mundo real, na Internet é também possível ocorrer um leque muito variado de acções hostis. Nomeadamente, é possível disponibilizar os códigos de acesso e os números de cartões de crédito a estranhos e que estes usem tais dados para lhe furtarem o seu dinheiro ou para o burlarem; é também possível aceder aos seus dados pessoais e que estes sejam utilizados para aceder às suas contas e mensagens de correio electrónico; é possível ser alvo de acções de intimidação e de coacção; é possível que dados sob a sua responsabilidade, pessoais ou institucionais, sejam destruídos; é possível deparar-se com informação falsa ou de conteúdo ilegal, designadamente sites de pedofilia ou que incitem à violência; e, por fim, é possível que a informação recolhida de si na Internet seja utilizada para determinar o seu modo de vida e da sua família, as vossas moradas, as vossas rotinas, enfim, toda a informação que facilita um assalto a si, à sua família ou à sua casa.

Como se pode constatar, são muitos os perigos a que cada um de nós se expõe sempre que está online. Não sendo possível abandonar a Internet, já que os estímulos para a sua utilização são cada vez maiores, a solução está, em primeiro lugar, termos consciência dos perigos a que estamos expostos. E, em segundo lugar, sabermo-nos proteger e prevenir.

Embora uma segurança plena seja praticamente impossível, há um conjunto de medidas que, se for adoptado, criará sérias dificuldades a quem pretender desenvolver alguma acção hostil contra nós utilizando a Internet. E para se ter a certeza de que todas estas medidas são implementadas, o ideal será seguir-se a seguinte lista de medidas, que também poderá ser designado de checklist de segurança, dividida por tipos de vulnerabilidades e respectivas medidas de segurança:

Códigos de acesso ou passwords:

  1. Códigos de acesso distintos para os diferentes serviços (banca on-line, correio electrónico, entre outros…) e para sites que não requerem grandes preocupações de segurança.
  2. Não são utilizados nomes, datas relevantes ou dados pessoais.
  3. Os códigos de acesso têm mais de 7 caracteres, utilizando maiúsculas e minúsculas, números e/ou outros símbolos.
  4. Os códigos de acesso são alterados periodicamente.
  5. Os códigos de acesso não se encontram guardados no computador ou noutros locais de acesso fácil.
  6. Não escolha códigos de identificação óbvios ou facilmente identificáveis (ex.: 111111;123456, password, !”#$%&). Memorize-os e nunca os faculte a terceiros;

Segurança no computador

  1. O sistema operativo e demais programas encontram-se actualizados.
  2. O antivírus está instalado e actualizado.
  3. A firewall (dispositivo de um computador ou de uma rede de computadores que impede o acesso por parte de terceiros não autorizados) está instalada e a funcionar correctamente.
  4. Na utilização de serviços garantir a segurança da ligação (https://).
  5. Os principais ficheiros e documentos têm cópia de segurança.

Comunicação e Correio electrónico

  1. O remetente da mensagem deve ser conhecido e a informação não deve ser duvidosa. Ou seja, não abra mensagens de correio electrónico sem garantir a identidade do remetente e confirmar o assunto. Caso duvide da origem da mensagem de correio electrónico apague-a de imediato sem executar qualquer ficheiro ou anexo que conste da mesma.
  2. Verificar a existência de vírus ou aplicações prejudiciais ao computador antes de abrir ou executar os ficheiros.
  3. Os links constantes da mensagem devem ser copiados e colados no navegador de Internet e não serem acedidos a partir do seu email.
  4. Nunca use o seu nome verdadeiro numa sala de conversação na Internet nem divulgue informação pessoal, sua, da sua família ou de terceiros.
  5. Evite combinar encontros com estranhos através da Internet. Mas, se o fizer, procure ir acompanhado com alguém responsável e ou que mais pessoas estão informadas sobre o seu paradeiro.
  6. Não se deixe iludir por ações de terceiros associadas ao que se designa por “engenharia social” ou “arte de enganar”, que utilizam “técnicas de sedução” para obtenção de informação de caráter pessoal e/ou confidencial (ex: passwords, números de identificação – BI, NIF), posteriormente utilizada indevidamente.
  7. Use filtros para dificultar o acesso, a partir do seu computador, a conteúdos considerados impróprios.
  8. Acompanhe e eduque os seus filhos quando eles estão na Internet. Uma boa educação “cibernética” previne muitos problemas no futuro. (Ver Ciberbullying)

Redes Sociais

  1. Quando acedemos a um website – qualquer um, mas sobretudo os que implicam a disponibilização de uma quantidade significativa de dados pessoais, como as redes sociais (Facebook, Hi5, Google+, My Space, etc.) – devemos começar por ler a sua a política de privacidade. As políticas de privacidade devem explicar claramente quais os dados que o website recolhe sobre si, o modo como são utilizados, partilhados e protegidos, assim como o modo como pode editá-los ou eliminá-los.
  2. Não publique informações online que não gostaria de tornar públicas, incluindo as da sua vida diária.
  3. Não utilize nicknames (alcunhas) que revelem a sua identidade ou que sejam provocadores.
  4. Tenha muito cuidado com os pedidos ou convites de adesão a aplicações que lhe são enviados pelos seus amigos, sejam tais aplicações jogos sociais ou quaisquer outros programas. Ao aderir a estas aplicações está a disponibilizar os seus dados pessoais a entidades que os poderão ceder a terceiros, sem o seu conhecimento.
  5. Minimize a quantidade de dados que o identificam ou que revelem a sua localização;
  6. Mantenha confidenciais os seus números de conta, nomes de utilizador e palavras-passe;
  7. Partilhe apenas o seu endereço de correio eletrónico principal ou nome de Mensagem Instantânea (MI) com as pessoas que conhece ou com organizações reputadas. Evite indicar a sua morada ou nome em diretórios da Internet e sites de anúncios de emprego;
  8. Introduza apenas as informações necessárias – frequentemente nos campos assinalados com um asterisco (*) – em formulários de registo ou outros formulários.
  9. Seleccione o grau de privacidade para o seu perfil nas redes sociais ou blogue, se tiver algum. Neste contexto, altere as definições do browser ou do website ou as opções que permitem gerir que pessoas podem ver o seu perfil ou fotografias online, o modo como as pessoas o podem pesquisar, as pessoas que podem fazer comentários sobre as suas publicações e o modo de bloquear um acesso não desejado por parte de terceiros.
  10. Monitorize aquilo que é publicado sobre si por outras pessoas:
  • Pesquise o seu nome na Internet utilizando pelo menos dois motores de busca. Pesquise por texto e imagens. Se encontrar informações confidenciais sobre si num website, procure informações de contacto no website e envie um pedido para remoção das suas informações;
  • Reveja regularmente o que outros escrevem sobre si em blogues e websites de redes sociais. Peça aos seus amigos para não publicarem fotografias suas ou da sua família sem a sua autorização. Se não se sentir confortável com O material, tal como informações e fotografias que são publicadas em websites de outras pessoas, solicite a sua remoção.

Comprar em segurança na Internet

  1. Em primeiro lugar, certifique-se de que a empresa é legítima e de confiança. Para isso, verifique se o site tem informações detalhadas sobre o vendedor (indicação do domicílio físico e não apenas virtual, contacto telefónico – que convém testar para ver se funciona – número de contribuinte e indicação do número de inscrição na conservatória do registo comercial).
  2. Nunca faça uma encomenda e proceda ao pagamento sem antes verificar se o endereço electrónico se inicia pela sigla https (e não apenas http) e se exibe o ícone de um cadeado no canto inferior direito da janela ou na barra de endereços; estes dois elementos indicam que se trata de uma página segura, que protege os seus dados, procedendo à sua encriptação.
  3. Sempre que possível, pague apenas quando receber o artigo. Se não lhe for dada essa possibilidade, opte por pagar com o chamado cartão electrónico ou virtual – que pode criar numa caixa multibanco ou através do sistema homebanking, tendo como plafond apenas o valor da compra em causa.
  4. Confira as condições de pagamento e o preço total do artigo, como por exemplo se inclui ou não cistos de entrega.
  5. O consumidor tem direito a anular a compra até 14 dias após a entrega. A primeira coisa a fazer é contactar o fornecedor, para formalizar o pedido de cancelamento e a devolução do artigo. O fornecedor não pode exigir que a embalagem não tenha sido aberta.

Fonte principal: Azeitão+Seguro

Anúncios