5 Regras básicas

5 Regras básicas para uma utilização segura da internet

Existem cinco regras básicas de segurança para uma navegação segura, sendo fundamental que, relativamente aos mais novos, os pais e os professores acompanhem a sua aplicação durante todo o ano.

As regras são as seguintes e podem, com algumas diferenças pontuais, serem encontradas em sites sobre segurança informática :

1.    Proteger as informações pessoais – sempre que publicamos informações pessoais online, permitimos que outros invadam a nossa privacidade. É fundamental que os perfis publicados não contenham qualquer tipo de informação que possa, direta ou indiretamente, identificar o seu autor. As fotografias podem, igualmente, revelar muita informação pessoal, pelo que não devem conter elementos que possam servir de identificação, tais como nomes de ruas, matrículas de carros, nome da escola, etc.

2.    Proteger o computador – Quando verificar que o seu computador está muito lento, que o browser sofre alterações na página inicial, que é automaticamente direcionado para páginas estranhas ou abre várias janelas sem serem selecionadas, este pode estar infectado. A fim de proteger tanto o computador como os dados pessoais, é necessário manter o anti-vírus sempre ativo e atualizá-lo regularmente, e ter a firewall e as atualizações automáticas sempre ligadas.

3.    Respeitar os outrosCyberbullying ou  bullying online é definido como “o uso da tecnologia, para deliberadamente ferir, chatear, assediar ou constranger outra pessoa e que, devido à sua natureza, é muitas vezes  anónimo”. Este difere de outras formas de assédio moral face à significativa dimensão da audiência, o que implica que as mensagens ou imagens perturbadoras se espalhem a grande velocidade. As crianças são especialmente vulneráveis a esta realidade, pelo que deve encorajar o seu filho a partilhar consigo se algo o deixar desconfortável ou ameaçado. Se isso acontecer, não perca a calma, sendo fundamental que ele perceba que está ao lado dele, tem o seu apoio e não o vai criticar por falar consigo.

4.    Comunicar e navegar com segurança – A Internet permite estar em contacto online com a família e amigos, proporcionando também a oportunidade de conhecer novas pessoas. E-mail, chat, mensagens instantâneas e sites de redes sociais permitem comunicar com quem quisermos e é onde geralmente disponibilizamos detalhes da nossa vida pessoal. As crianças poderão colocar-se em situações de perigo ao encontrarem-se com pessoas que apenas conheceram no mundo digital e que podem ter identidades falsas. Aconselhe-as a comunicar apenas com os amigos que conhece na vida real e não com pessoas que desconhece. Procure criar na sua casa uma cultura onde a criança se sinta confiante em partilhar e discutir as suas experiências online – as boas e as más –, sem medo de que o acesso à Internet lhe possa ser retirado.

5.    Socializar em segurança – As redes sociais levam os utilizadores a pensar que se encontram entre amigos quando, na realidade, milhões de pessoas têm acesso à informação disponibilizada. Alguns sites de jogos ou com downloads gratuitos podem ser um embuste para obter informações pessoais ou passwords. Antes do seu filho começar a utilizar ou registar-se num determinado site, seja você mesmo utilizador desse site. Leia a política de privacidade e a prática de conduta e confirme se o mesmo tem processos que analisem os conteúdos lá colocados. Depois, acompanhe-o periodicamente. Não se esqueça, também, que as redes sociais permitem diferentes graus de partilha da informação pessoal, pelo que deve procurar gerir a informação que efectivamente é disponibilizada aos restantes utilizadores.

Seguindo permanentemente estas regras básicas e zelando para que as crianças pelas quais somos responsáveis também as sigam, permitirá uma utilização tranquila e divertida do muito que a Internet nos tem para oferecer.

Fonte: Azeitão+Seguro